Financiamento imobiliário: o que você deve saber antes de fazer um?

O financiamento imobiliário é uma das alternativas mais comuns para quem deseja realizar o sonho da casa própria.

Só em 2018, foram gerados 22.623.706 contratos para financiar imóveis no Brasil, com um total de quase R$ 54 bilhões financiados (mais de R$ 1 bilhão apenas no Ceará).

No entanto, o país fechou 2018 com 2,30% dos contratos inadimplentes, segundo dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

A inadimplência é impulsionada pelo desemprego e pela crise econômica, mas também é causada pela falta de planejamento e desconhecimento de pormenores ao financiar um imóvel.

Os pormenores do financiamento imobiliário

Se você já considerou ou está buscando um imóvel para financiar, certamente a primeira coisa com a qual pensou foi na taxa de juros do financiamento imobiliário.

No entanto, há outros custos além da taxa de juros nominal, aquela que não considera a inflação. Veja quais são os principais custos desse tipo de investimento imobiliário:

Taxa de administração do financiamento

Essa taxa é um dos dois custos fixos praticados pelas instituições financeiras e é tabelada em até R$ 25,00 por mês durante o período do financiamento.

Tarifa de avaliação do imóvel

O segundo dos custos fixos é a cobrança pelo serviço de avaliação do imóvel, que em geral é de R$ 3.100,00, independentemente do valor do imóvel.

Seguro contra morte e invalidez

Mensalmente, os bancos ou financeiras também costumam acrescentar uma fatia do seguro que resguarda o financiamento no caso de morte ou invalidez do responsável pelo empréstimo e varia de acordo com o valor do imóvel, a idade do segurado e até mesmo a seguradora.

Esses três pormenores compõem o Custo Efetivo Total (CET) e costumam representar um acréscimo significativo nas parcelas mensais dos financiamentos de imóveis.

Apesar de os bancos serem obrigados por lei a divulgarem essas informações, raramente esses custos são considerados pelos compradores.

Além deles, o comprador está sujeito a outros ônus se deseja comprar uma casa ou apartamento para morar em Fortaleza:

  • Registro do imóvel: custo que fica entre 0,3% e 1,3% do valor do bem;
  • Imposto de Transmissão de Bens Imóveis: o ITBI, como é mais conhecido, é um imposto municipal que, em Fortaleza, varia entre 0,5% e 3%, dependendo do valor do imóvel, forma de pagamento e data da transmissão. Importante lembrar que os funcionários públicos de Fortaleza são isentos de pagar o ITBI do primeiro imóvel;
  • Taxa Referencial: a TR é usada para o reajuste da dívida e costuma variar entre 0 e 2%;
  • SELIC: a taxa básica de juros costuma ser uma faca de dois gumes porque, ao mesmo tempo em que ajuda o financiamento quando está baixa, pode elevar em muito a dívida quando sobe;
  • Seguro do imóvel: diferentemente do seguro contra morte ou invalidez, ele cobre danos físicos permanentes ao imóvel, afinal, até que você conclua o pagamento do financiamento, o imóvel pertencerá ao banco.

As regras básicas para financiar um imóvel

Antes de iniciar o processo de financiamento de um imóvel, você precisa ficar atento às regras que envolvem a modalidade desejada, como o Minha Casa Minha Vida.

No entanto, existem três regras básicas, válidas para qualquer tipo de financiamento imobiliário: maioridade civil, renda comprovada e o famoso nome limpo.

Para assumir qualquer tipo de compromisso financeiro, é exigido ter mais de 18 anos de idade. Ou seja, a pessoa já é considerada adulta pelas leis brasileiras.

Além disso, o banco precisa de garantias para liberar qualquer quantia para uma pessoa. Essas garantias ficam mais rígidas quando se trata de valores altos, como para financiar um imóvel.

Portanto, é preciso ter renda compatível comprovada, seja por meio formal (CLT) ou informal declarada, e não ter débitos registrados nos serviços de proteção ao crédito.

Os tipos de financiamentos disponíveis no Brasil

O país tem um mercado financeiro bem consolidado, com diversas opções de financiamento imobiliários disponíveis, cada qual com suas peculiaridades.

Entre os mais conhecidos, estão:

Carta de Crédito FGTS

Permite a compra de imóveis até R$ 215 mil, seja utilizando ou não o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, mas com renda mensal não superior a R$ 6.500.

Programa Minha Casa Minha Vida

Possibilita o financiamento de imóveis até R$ 300 mil, dependendo do município, por famílias com renda mensal de até R$ 9.000.

Pró-Cotista

Linha de financiamento específica para quem tem até 10% do valor do imóvel aplicado no fundo

SBPE

O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo tem taxa atrativa, mas só financia 70% do valor dos imóveis, com exceção dos funcionários públicos, que podem financiar até 80% de imóveis usados e 90% de imóveis novos.

SFI

Direcionado para quem pretende adquirir imóveis acima de R$ 950 mil e não permite utilização do FGTS.

Se você fica perdido em meio a tantas opções de financiamento imobiliário e as diversas regras de cada um, conte com o auxílio da Alian Soluções Imobiliárias.

Basta entrar em contato conosco por e-mail, pelo telefone (85) 3266-5000 ou através do WhatsApp (85) 98199-5010.

O que levar em conta na hora de escolher onde morar?

A mudança de endereço é um momento importante, seja na hora de escolher onde morar ou para onde levar uma empresa.

Quando a mudança é do lar, a escolha do novo local para morar costuma ser muito pessoal, mas há alguns pontos que você precisa levar em conta para aproveitar o bom momento para comprar imóveis.

A seguir, relacionamos os principais motivos que levam uma pessoa a se arrepender da escolha da nova casa ou apartamento.

1. A expectativa de desenvolvimento da região

A maior parte das pessoas que estão procurando um novo apartamento ou outra casa para morar se preocupa mais com o conforto do espaço.

Isso não está errado, mas tão importante quanto a estrutura do imóvel, é a perspectiva de crescimento econômico da região, por isso é fundamental pesquisar sobre o  mercado imobiliário de Fortaleza.

Então, escolha bairros que tenham boas expectativas de desenvolvimento socioeconômico, segurança e serviços, pois, provavelmente o imóvel será valorizado com o tempo.

2. O custo de vida do novo endereço

Não adianta encontrar a casa dos seus sonhos ou aquele apartamento que você tanto deseja se não conseguir custear os impostos anuais do imóvel ou as despesas do dia a dia.

Definir o seu padrão real de vida é um ponto básico para escolher onde morar para não se arrepender com o valor do IPTU ou até mesmo do pãozinho francês da padaria.

O ideal é que seja feita uma sondagem pela região, avaliando o tipo de comércio que está disponível para os moradores.

Certamente você não achará interessante morar no imóvel que sempre quis tendo que pagar muito mais com alimentação do que em um bairro com custo de vida mais acessível.

3. A segurança nas redondezas

Outro ponto fundamental, que está muito associado à expectativa de desenvolvimento da região, é a segurança das redondezas do imóvel.

Viver à espreita da violência, com receio constante de assaltos, furtos e afins, não proporciona uma qualidade de vida adequada.

Então, se você pode escolher onde morar, opte por uma região que te proporcione a segurança de andar tranquilamente pelas ruas ou não se preocupar ao parar o carro na frente do imóvel.

Além de informações das instituições de segurança, você pode facilmente avaliar esse aspecto pela quantidade de imóveis à venda na região, assim como câmeras de segurança e iluminação pública. O bom e velho bate papo com pessoas que moram no local também pode lhe ajudar na decisão.

4. A infraestrutura do bairro escolhido

A menos que você busque sossego, tenha um transporte particular e opte por um imóvel em um condomínio afastado ou um sítio, você precisará de uma infraestrutura básica por perto.

Padaria, supermercado, salão de beleza, farmácias, petshop e escolas são itens óbvios, que todo mundo olha ao escolher onde morar. Mas infraestrutura é muito mais do que isso.

Observe se a região tem hospitais, sejam públicos ou privados, fácil acesso às principais vias da cidade, transporte público acessível e até mesmo unidades de instituições públicas, como delegacia de polícia.

Afinal, quanto mais acessível for o seu dia a dia no novo endereço, menos tempo você irá despender com deslocamentos e mais valorizada será a região.

5. Ajuda profissional para escolher onde morar

Apesar de parecer simples, avaliar todos os pontos acima pode ser complexo para quem está ansioso em para se mudar.

Por isso, é recomendável que as pessoas busquem auxílio especializado para as ajudá-las a definir o melhor apartamento ou casa para morar.

Além de reduzir complicações decorrentes de escolhas mais emocionais e menos racionais, o comprador terá maior tranquilidade e praticidade, não tendo que demandar muito tempo do seu dia na busca pelo imóvel.

Então, conte com a equipe da Alian Soluções Imobiliárias para dar esse importante passo em sua vida, sem arrependimentos. Basta entrar em contato conosco.

Gastos extras na compra de um imóvel: saiba quais são?

Com o crédito imobiliário em alta, muitas pessoas aguçam a vontade de assumir o financiamento de um apartamento ou uma casa.

Porém, é preciso se planejar bem para não entrar para o índice de contratos de financiamento de imóveis inadimplentes por causa dos gastos extras na compra de um imóvel.

Neste artigo, você conhecerá quais são esses gastos.

Gastos com o financiamento imobiliário

Existem alguns gastos que são típicos desse modelo de aquisição de bens, como os custos da taxa nominal de juros.

Além da temível Selic, ainda existem outras taxas que as instituições financeiras cobram em seus financiamentos e que detalhamos no artigo Financiamento imobiliário: o que você deve saber antes de fazer um.

Gastos extras na compra de um imóvel

Se as taxas que compõem o Custo Efetivo Total (CET) dos financiamentos de imóveis já te assustam, é preciso lembrar que existem outros gastos extras na compra de um imóvel.

Isso é importante para reduzir o risco de até perder sua casa ou apartamento caso sua situação financeira apertar e você não conseguir cumprir os compromissos assumidos.

Para não perder o aquecimento do mercado imobiliário de Fortaleza, se atente aos seguintes itens:

Vistoria técnica

Trata-se de uma exigência dos bancos que financiam imóveis e que precisam de uma certificação de que o bem é exatamente como descrito no contrato e está em boas condições.

O valor varia de banco para banco, geralmente em torno de R$ 1.000 e R$ 3.000 e sempre é pago pelo comprador, mesmo que seja diluído no financiamento do imóvel.

Registro do imóvel

Esse documento serve para certificar, por lei, quem é o proprietário do imóvel adquirido e varia de estado para estado.

Em Fortaleza, o valor do registro de imóvel equivale a cerca de 1,5% do valor do bem.

Imposto de Transmissão de Bens Imóveis

Mais conhecido como ITBI, esse tributo municipal é cobrado sempre que há a transferência de propriedade de um imóvel envolvendo pessoas vivas.

Na capital cearense, o imposto varia de 0,5% a 3% do valor do bem, dependendo de seu valor e do tipo de financiamento, e funcionários públicos têm isenção na aquisição do primeiro imóvel.

Escritura Pública

A cobrança da escritura pública se destina apenas a quem comprará um imóvel com pagamento à vista, condicionado ao pagamento do ITBI ou ITCD (Imposto de Transmissão sobre causa mortis e Doações).

Em fortaleza, o valor do imposto varia entre 2% e 3% do valor do imóvel.

Seguro do imóvel

Boa parte dos proprietários de imóveis no Brasil não contratam um seguro para o bem. Mas no caso de financiamento, a instituição financeira pode exigir a contratação do serviço.

O valor varia conforme a cobertura e o prestador do serviço, mas serve como segurança à instituição financeira caso ocorra algum dano estrutural ao imóvel.

Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbano

O IPTU não é exclusividade de quem compra imóveis por um financiamento, mas costuma ser desconsiderado na hora de fazer o planejamento financeiro antes de comprar um imóvel.

Esse imposto é aplicado sobre o valor venal do bem, com alíquotas que variam, em Fortaleza, entre 0,6%, 0,8% ou 1,4%, para imóvel residencial, e 1% ou 2% para terrenos não edificados.

Pequenas reformas e ajustes

Também comumente desprezado por quem adquire um imóvel, os gastos extras com pequenas reformas e ajustes costumam pesar no orçamento do novo proprietário.

Desde a mudança de um ponto de luz ou a extensão da rede hidráulica para atender, por exemplo, a uma máquina de lavar, elevam os custos com o novo bem.

Mudança

Depois de todos os impostos pagos e ajustes realizados, o novo proprietário do imóvel precisa se mudar. E os gastos com mudanças não costumam ser baixos.

Desde o empacotamento e a transferência dos móveis, até a aquisição de itens que antes não eram necessários. Portanto, é importante que estes gastos sejam considerados para que o orçamento mensal não estoure.

Como pode ver, existem muitos gastos extras na compra de um imóvel. Apesar disso, você não precisa desanimar.

Com um planejamento financeiro adequado, o plano de se mudar para a casa ou apartamento dos seus sonhos não precisará ser adiado.

Então, conte com a Alian Soluções Imobiliárias para aproveitar o bom momento para comprar imóveis e encontrar a melhor opção para você e sua família, sem estourar o seu orçamento mensal.

Mercado imobiliário de Fortaleza: confira novidades e principais tendências para segundo semestre de 2019

Lançamentos, queda da taxa de juros e procura por imóveis de praia são algumas das tendências que têm se consolidado para o mercado imobiliário de Fortaleza no segundo semestre de 2019. Confira mais em nosso blog!

As previsões iniciais para o mercado imobiliário de Fortaleza em 2019 têm se confirmado, ainda que a economia do país não tenha deslanchado de vez.

Essa movimentação é percebida, principalmente, pela valorização de 3,1% do metro quadrado  da capital do Ceará, no acumulado dos últimos 12 meses, segundo o jornal O Povo.

Mas, o que esperar para o segmento neste segundo semestre de 2019?

Lançamentos aquecem o mercado imobiliário de Fortaleza

Os lançamentos de empreendimentos de alto padrão estão elevando o Valor Geral de Vendas (VGV) dos imóveis verticais de Fortaleza.

A tendência é de que o crescimento de 29%, registrado em maio, se mantenha até o final do ano com a projeção de novos empreendimentos na capital e região metropolitana.

Há uma expectativa do segmento imobiliário de que sejam obtidos resultados similares aos de 2015, quando a crise atual ainda não estava tão forte.

Procura por imóveis de praia apresenta alta

Apesar de Fortaleza estar cada vez mais vertical, uma tendência mundial em todas capitais e grandes centros urbanos, a procura por imóveis de praia, tem apresentado alta na cidade.

Isso se dá pela expectativa de melhoria na economia nacional, pela queda no valor venal dos imóveis do país nos últimos anos e também pelo aumento do preço médio do aluguel, registrado em maio.

A segunda moradia, como são chamados os imóveis beira mar, tem muito apelo turístico e é tida como um excelente investimento imobiliário, ainda mais com o aumento do turismo nacional.

Busca maior por unidades compactas

Seguindo a tendência das grandes capitais brasileiras, o mercado imobiliário de Fortaleza tem observado busca maior por apartamentos compactos.

Além de questões econômicas, o crescimento do número de solteiros, impulsionado pelo aumento de 8,3% no número de divórcios em 2017, segundo o IBGE, tem moldado o segmento imobiliário da cidade. Afinal, esse tipo de imóvel, além de, normalmente ser mais barato, é ideal para quem não precisa de muito espaço, como quem vive sozinho.

Encantamento pelos condomínios horizontais e seus serviços

Apesar de o termo popularização remeter a algo que fica mais acessível, os condomínios horizontais da região metropolitana de Fortaleza são para um público seleto.

Empreendimentos de alto nível, que oferecem conforto extra para seus moradores, através de vários diferenciais, têm ganhado as graças de quem valoriza morar em casa e não “apês”.

Alguns desses condomínios oferecem serviços especiais, como compartilhamento de transporte interno. Outros dispõem até de espaço refrigerado na portaria para receber os produtos frescos comprados pelos moradores durante seu expediente. Academias compartilhadas, espaço de lazer e por aí vai. Facilidades importantes para quem vive a correria do dia a dia e quer maior conforto.

Redução da taxa de juros da Caixa facilita financiamento imobiliário

A redução da taxa de juros pela Caixa Econômica Federal para os financiamentos imobiliários promete uma melhora ainda maior no mercado imobiliário, que já tem se valorizado em Fortaleza.

Trata-se, portanto, de um momento oportuno para quem deseja vender imóveis, pois a redução na taxa de juros é muito significativa na composição do valor das prestações.

Ao observarmos a movimentação do mercado imobiliário de Fortaleza e as perspectivas da economia no Brasil, há claros sinais de um esforço de melhoria no setor imobiliário. Os primeiros meses do segundo semestre de 2019 serão importantes para a consolidação desses resultados e para delinear as expectativas para 2020.

Para ficar por dentro de todas essas movimentações, acompanhe a Alian Soluções Imobiliárias no Facebook e no Instagram. E não hesite em nos procurar para tirar quaisquer dúvidas sobre as melhores regiões da cidade.

Investimento imobiliário: as melhores opções de imóveis em Fortaleza

Escolher imóveis em Fortaleza pode ser complexo para quem deseja um investimento imobiliário lucrativo. Então, confira as melhores opções de imóveis da cidade em nosso artigo.

Tirando as aplicações de alto risco na bolsa, o investimento imobiliário é uma das opções mais seguras e pode ser muito rentável a médio e longo prazo.

Mas, se você deseja investir em imóveis em Fortaleza, é preciso primeiro conhecer as melhores opções para aplicar seu dinheiro em um bem realmente interessante.

A seguir, vamos apresentar algumas informações que te ajudarão a se decidir sobre onde investir seu capital aqui no Ceará.

O melhor tipo de imóvel para um investimento imobiliário

Diferente de quem busca um novo endereço para morar, a busca de um imóvel para investir deve ser mais racional e menos emocional.

Não basta apenas gostar do apartamento ou da casa. É preciso compreender o mercado e a demanda por aluguéis e compra de imóveis.

Se seu foco é aproveitar a inflação do aluguel de imóveis em Fortaleza, o ideal serão as salas comerciais ou unidades residenciais mais compactas e centrais, pois têm grande demanda por empresas e turistas que buscam alugar imóveis por temporadas.

Agora, se o investimento imobiliário for para revender o bem, recomenda-se escolher imóveis em loteamentos e/ou casas da Região Metropolitana de Fortaleza, como Caucaia e Eusébio.

Mas se você se enquadra nessa última opção, fique atento aos quatro itens que separam bons negócios de ciladas ao comprar um terreno.

Onde estão as melhores opções de imóveis em Fortaleza

Além do tipo de imóvel, é importante que seu investimento imobiliário seja estratégico, preferindo bens em regiões de destaque e que, por si só, são mais valorizados.

Apesar de a cidade ser a 7ª capital com menor custo de vida entre as 26 capitais e o Distrito Federal, segundo o site Custo de Vida, aluguéis variam de R$640 (quitinete) a R$1.700 (apartamento de três quartos) na região nobre.

Assim, para você escolher bem, destacamos abaixo os bairros com os melhores imóveis em Fortaleza, a partir do critério de procura do mercado e valorização dos bens, para você investir melhor.

A nobreza do Aldeota

O bairro Aldeota é onde encontramos luxuosas residências, cercadas por atividade comercial completa e opções de lazer, como a praça Luíza Távora.

Além dos dois shoppings (Aldeota e Del Paseo), a região conta com supermercados, bancos, farmácias, colégios e faculdades, padarias e dois hospitais.

Segundo levantamento do INDEX Fortaleza, divulgado pelo O Povo online, Aldeota tem o terceiro metro quadrado mais caro da cidade: R$6.727,00.

O contraste do Mucuripe

O bairro do Mucuripe é uma região de contrastes, em que suas ruas contemplam tanto o passado quanto a modernidade.

Pelo bairro, é possível observar pontos históricos, como o Farol do Mucuripe — patrimônio histórico da cidade —, altos arranha-céus, como o condomínio Jardins de Atlântida, e áreas de lazer, como o Parque do Bisão e a orla de Mucuripe.

O metro quadrado nesse bairro é o segundo de maior valor em Fortaleza, atingindo R$6.923,00. 

A riqueza do Meireles

Topo dos investimentos imobiliários, o bairro Meireles dispõe dos mais caros imóveis em Fortaleza e em todo o Ceará, com o metro quadrado médio de R$7.329,00.

A região tem hotéis luxuosos e residências de alto padrão, o que confere ao Meireles um dos maiores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil.

O bairro conta com infraestrutura de ponta, com shopping center, galerias de arte, restaurantes e feiras de artesanato, o que faz dele um foco do turismo no Ceará. É uma região diferenciada e que atrai pessoas de classe social privilegiada. Para quem quer acertar na compra de um imóvel, esta é uma das melhores opções de Fortaleza.

Como pode ver, o investimento imobiliário na capital cearense é diverso e pode ser muito lucrativo se você souber escolher onde comprar.

Para tal, você conta com o conhecimento de mercado e com um software exclusivo da Alian Soluções Imobiliárias, que cruza as informações do seu perfil a um amplo cadastro de imóveis. Então, contate-nos e não deixe seu investimento imobiliário para amanhã.